Ultimo dia de estágio

Imagem por Carlo Barros

Imagem por Carlo Barros

Entrei em um estado de fúria, minhas mãos tremiam enquanto eu sentia me afundar em uma areia movediça, não conseguia nem sair do lugar depois de ter ouvido o que ele havia me dito, ele não estava arrependido do que havia feito mas sentia que devia me falar, afinal de contas, eu era seu “amigo”.
– Espero que isso não atrapalhe nossa amizade Lucas, não sabia o que falar ao chefe quando ele veio me dar esta notícia, sei que era uma oportunidade que tu queria muito, mas este dinheiro também é importante para mim… – Deve ser difícil para o Jorge mesmo, afinal ele vem de carro para o trabalho e gasta metade do seu salário em cocaína e puta.
Olhei para os seus olhos sem conseguir expressar alguma reação, por quê este filho da puta não disse para o chefe que eu estava trabalhando duro para conseguir esta vaga? – Até tentei dizer para ele que tu queria bastante este cargo, que estava até vindo mais cedo e ficando mais tarde para “mostrar serviço”, mas demorou para lembrar quem tu era e quando conseguiu, lembrou da vez que havia pornografia no seu computador de trabalho..
MAS ESTE IMBECIL NÃO DISSE PARA O CHEFE QUE A PORNOGRAFIA ERA SUA?! Meus olhos dilatavam para fora da cara, ele estava se aproveitando de minha falta de iniciativa para as coisas e passara por cima de mim, tentei falar mas só o que consegui fazer foi pegar um copo d’água com as mãos trêmulas e beber rapidamente, sem me dar conta que metade havia saído pelos lados da boca.
– É claro que, apesar de tudo isso, eu sei que tu estás feliz por mim, eu fiz o que era certo, né? Tu és um grande amigo Lucas, um dia vão reconhecer quem tu és por traz desse teu jeito “quietão”, mas gostaria que dissesse alguma coisa, até porque o contrato do seu estágio não pode ser mais rescindido, então talvez esta seja nossa ultima vez que nos veremos, que que você diz?
Disse nada. Depois de 2 anos de estágio, nunca disse nada diante destas barbaridades, sou um fracassado mesmo, deixei este babaca pisar em mim para alcançar sua língua no saco do chefe durante todo este período, e mesmo depois de estar indo embora daqui não consigo falar nada para eles. Está na hora de soltar tudo de uma vez.
– Então Jorge, chega mais perto aqui para lhe dar um abraço…
Esperei ele abrir os braços, fechar os olhos enquanto sorria estupidamente em minha direção, para fazer meu punho esmagar seu nariz contra os ossos da cara. Enquanto o sangue sai grudado em meu punho, fazendo uma ligação com o que sobrara do seu nariz, gritamos em coro, porque doeu pra caralho. Mas eu queria mais.  Eu tinha muito mais a dizer a ele, e Jorge ouvira toda minha revolta penetrando qualquer orifício de seu rosto sem dizer uma palavra, prestou atenção em tudo que eu “falei” e deixei-o escorando a cabeça no bebedouro enquanto o piso branco era pintado vermelho-escuro.
Subi em direção a sala do chefe, as mãos estavam misturadas com sangue meu e de Jorge que penetrava minha camiseta branca por onde quer que eu as esfregassem, abri a porta com um chute e o encontrei de calças arriadas, vendo as pornografias que meu “amigo” saboreava quando ficava mais tarde no trabalho, fechei o seu notebook com uma batida de cima para baixo e bati em sua cara gorda e enrugada, fazendo seu rosto ir da esquerda para direita, cuspindo seus dentes amarelados de cigarro, parecendo um cometa que deixava seu rastro vermelho enquanto iam em direção do chão.

– Só vim lhe dizer que foi um prazer trabalhar para o senhor. Mas você precisa ouvir algumas coisas que falei para o Jorge também..

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s